JP Godoy

Guitarra
JP Godoy, professor do IG&T

 

João Paulo começou a tocar violão com 12 anos de idade. Os amigos da escola o incentivaram a trocá-lo por uma guitarra e seu pai foi enfático: “eu te dou a guitarra, mas você vai ter que estudar música”. JP achou justo e ingressou numa escola que, infelizmente, não correspondeu às expectativas.

O guitarrista resolveu ser autodidata, mas “chega uma hora que você fica estagnado. É preciso ter orientação profissional”. Foi quando conheceu a EM&T: “A primeira vez que vim aqui, vi o Wander Taffo tocando e ele me pareceu um extraterrestre. Nunca tinha visto ninguém tocar daquela maneira”. Depois de se formar no IG&T, estudando com vários professores, JP Godoy fez faculdade de música, estudou harmonia com o maestro Vitor Santos e fez uma pós-graduação em trilha-sonora.

A experiência como professor começou cedo, com aulas particulares. Em 2006 começou a dar aulas na EM&T e hoje também leciona no Instituto Padre Chico, que trabalha com crianças cegas. Além das aulas, JP Godoy acompanha músicos, toca na noite e grava trilhas. Suas influências vão do blues e jazz à música brasileira: o IG&T é sua primeira referência e ele também cita Marcelo Munari, Pat Metheny, Charlie Christian, George Benson, Mike Stern e Wes Montgomery.

Procure uma boa escola, ela vai direcionar sua caminhada dentro dos estudos. O autodidata até pode evoluir bastante, mas às vezes ficam falhas em seu desenvolvimento. É bom também conhecer o professor e ter afinidade com ele, com seu estilo. Outra dica é tocar com outras pessoas, sair do quarto. Mesmo que seja uma roubada. Isso faz o músico evoluir.

JP Godoy
Redes Sociais