Luis Pagoto

Bateria
Luis Pagoto, professor do IP&T

Com 5 anos de idade, Luis Pagoto ganhou um surdo e um tamborim de seu pai, que tocava percussão por diversão e participava de rodas de samba. Aos 15 anos, entrou em uma banda marcial de Santos – tocando caixa e trumpete – que chegou a ganhar um prêmio de melhor banda marcial mirim do Estado de São Paulo.

Ainda adolescente, decidiu se tornar profissional e viver de música: passou a tocar em bares e festivais, com uma bateria que ganhou aos 16 anos, de sua avó. Se aprofundou nos estudos de bateria e percussão, tomando aulas no CLAM e na ULM. Logo começou a dar aulas – no próprio CLAM e na escola do Duda Neves, com quem também estudou. Em 2001 se tornou professor da EM&T.

Além das aulas e de tocar na noite, Pagoto também acompanha artistas, participa de festivais – inclusive internacionais – e tem uma empresa de equipamentos de áudio. O professor cita como primeira influência, sua família: a mãe, pianista, o pai, percussionista e a irmã, cantora. Outras referências – bastante ecléticas – são os bateristas Jorge Arnaldo, Duda Neves, Carlos Bala, John Bonham, Buddy Rich e Tony Williams.

Minha dica para quem está começando é organizar seu tempo e seus horários. Estabeleça metas, mesmo que sejam pequenas, para seus estudos. Você define 10 minutos a cada dois dias para estudar técnica, por exemplo. Depois você pode aumentar esse tempo ou a frequência do estudo. E assim você vai avançando.

Luis Pagoto
Redes Sociais