Michel Caramelo

Guitarra
Michel Caramelo, professor do IG&T

Michel Caramelo começou tocando bateria. Ele tinha 7 ou 8 anos, nenhum músico na família, mas um vizinho baterista. Chegou a tocar na banda do irmão, mas a família achava o instrumento muito caro, não podiam comprar. Seu pai tinha um violão mas não o tocava e Michel começou a dedilhá-lo.

Aos 11 anos, Michel ganhou sua primeira guitarra e teve suas primeiras aulas. Formou bandas e tocou na igreja que a família frequentava. Aos 17 anos, sentiu a necessidade de aprender mais sobre o instrumento, sobre teoria e técnica e foi quando começou a estudar no IG&T, com Wanderson Bersani. Veio a profissionalização: passou a tocar na noite, acompanhar músicos e dar aulas particulares. Se formou no IG&T em 2004 e um ano depois se tornou professor da escola: “Acho fascinante ver os alunos aprendendo as coisas, gosto de abrir os olhos deles e fazê-los entender a música. Dar aula é como fazer pós-graduação em música”.

As primeiras influências de Michel foram guitarristas de rock como Joe Satriani, Steve Vai e Steve Morse. Sua passagem para o jazz e o fusion – estilos com o quais se identifica atualmente – se deu depois de ter aulas, no IG&T, com Mozart Mello. Em 2015, Michel Caramelo lançou o disco “Take 1” – gravado ao vivo e cheio de improviso e ainda com participação de outro professor do IG&T, Michel Leme. O professor está cheio de projetos para o futuro.

A principal dica é ouvir bastante coisa, de diversos estilos, para ter referências. E estudar muito: cada tipo de som tem suas características e é preciso entender cada uma delas.

Michel Caramelo
Redes Sociais